O artesanato maranhense tem mais de 400 anos de tradição, basta uma visita ao Centro Histórico de São Luís e se pode ver a variedade de artefatos (Fotos/Divulgação)

 

O Governo do Estado do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado do Turismo (SETUR), está realizando uma série de diálogos com artesãos maranhenses.

Após passar por São Luís, será a vez dos artesãos das cidades de Barreirinhas e Tutóia receberem a designer paulista Luly Vianna, que irá fazer roda de conversa sobre Mercado do Artesanato Brasileiro, qualidade e acabamento nos dias 30 de setembro e 2 de outubro.

Segundo o secretário de Estado do Turismo, Catulé Júnior, a Setur está sempre buscando o fortalecimento e a promoção da cadeia produtiva associada ao turismo do Maranhão. “Basta uma visita ao Centro de Comercialização de Produtos Artesanais do Maranhão (CEPRAMA) para conferir a variedade de artesanatos que ajudam a contar a história do estado. Além disso estamos sempre procurando qualificar nossos artesãos e nosso artesanato, que encanta a todos pela riqueza, tradição e cultura”, pontua Catulé Júnior.

A artesã Luly Vianna, ficou encantada com o artesanato maranhense e agradeceu o convite. “Estou tendo a oportunidade de conhecer alguns artesãos que pegam a matéria prima, que está no lixo, e fazem artesanato, isso é transformado. Está sendo muito especial tanto para mim, quanto para os artesãos, e espero voltar em breve com certeza”, enfatiza a designer que trabalha com artesanato bio sustentáveis.

O artesão do Ceprama, que produz bolsa de fibra de buriti, Magno Farias, participou da roda de conversa. “Nesse período de pandemia a Setur esteve sempre conosco, com editais, nos ajudando com cestas básicas, ofertando cursos online, e essa roda de conversa é mais uma demonstração de cuidado e atenção que recebemos. Gostei muito da troca de conhecimentos transmitidos nesta ação”, afirma Magno Farias.

Segundo o superintendente de Artesanato e coordenador do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) do Maranhão, Carlos Martins, o turista que leva o artesanato maranhense, revive as emoções da viagem. “O turista quer levar consigo uma lembrança do local, e não há nada que represente melhor, que o artesanato maranhense”, afirma Carlos Martins.

Espaço Ceprama

Construído em 1891, o Centro de Comercialização de Produtos Artesanais do Maranhão (Ceprama) é um espaço em que impera a história do Maranhão, com sua cultura, arte e folclore. São 38 estandes que funcionam diariamente, comercializando produtos em fibra de buriti, azulejaria, vime, fibra de tucum, em chifre, especiarias, madeira e cerâmica, além de bebidas regionais, vestuário e indumentárias de grupos juninos. O visitante pode, inclusive, apreciar o artesão produzindo in loco a sua arte.

Gostou? Compartilhe!
Share on Pinterest
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar