A arquiteta do Grupo Potiguar Amenna Maia com materiais que podem aumentar a segurança dos idosos no lar, como as barras de apoio de alumínio, bancos para banho e pisos antiderrapantes. (fotos divulgação)

Independentemente da idade, todas as pessoas correm o risco de cair e pesquisas mostram que a maior incidência de quedas são exatamente no lar. E vale lembrar que, uma queda para a pessoa idosa pode representar um problema bem mais grave, levando a limitações funcionais e transformando o idoso antes ativo, em alguém que passará a depender de cuidados integrais de outras pessoas.

E entre as consequências das quedas, a fratura de fêmur é uma das mais graves nas pessoas com 60 anos ou mais de idade. Segundo dados do Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil), que analisou a prevalência e os fatores associados às quedas entre idosos brasileiros em áreas urbanas, entre 4.174 idosos 25% já tiveram uma queda. A maior ocorrência foi em mulheres à partir dos 75 anos. E mais, estima-se que há uma queda para um em cada três indivíduos com mais de 65 anos, e que um em vinte, sofrerá uma fratura ou necessitará de internação. Dentre os mais idosos, com 80 anos ou mais, 40% cai a cada ano.

Uma das formas de prevenir esse tipo de acidente é rever os ambientes da casa toda, e adaptar o que for possível para tornar o lar um local mais seguro e mais acessível para a nova realidade de um idoso. Nas lojas do Grupo Potiguar há diversos produtos voltados para esse fim, como barras de apoio em diferentes tamanhos; bancos e cadeiras para usar na hora do banho, acento mais elevado para o vaso sanitário, pisos antiderrapantes, maçanetas do tipo alavanca e luminárias.

Segundo a arquiteta do Grupo Potiguar, Amenna Maia, “os itens mais procurados são aqueles para o banheiro, pois este é um dos ambientes onde mais ocorrem acidentes. Instalar barras ao lado do vaso sanitário e dentro do box são essenciais. Elevar a altura do vaso sanitário acoplando um acento é outra dica para evitar que o idoso se abaixe muito na hora de usar o vaso sanitário. Além é claro, de ter todo cuidado em manter os pisos secos e de preferência, do tipo antiderrapante”.

Ela dá ainda outras dicas para o lar de pessoas idosas:

“O ideal é manter  todos os cômodos sempre bem iluminados; usar cores mais claras nas paredes; ampliar as portas para facilitar a passagem (o ideal é ter 80 cm de largura); colocar trincos largos do tipo alavancas nas portas, que são mais fáceis de abrir, e usar prateleiras baixas para evitar que a pessoa fique nas pontas dos pés ou suba em bancos quando for fazer uso dos objetos”, lembrou a arquiteta da Potiguar.

Acostumada a fazer diversos projetos de adaptação de residências assim como projetos comerciais com espaços acessíveis; a arquiteta Marina Bogéa, do escritório Por Metro Quadrado recomenda também:

“É importante um cuidado especial com o banheiro. Devemos incluir pisos antiderrapantes, barras de apoio (pia, vaso e box) e evitar desníveis como degraus e tapetes soltos. Caso haja desníveis e não seja possível eliminá-los, é importante fazer alguns ajustes para criar rampas. É muito importante deixar abertura da porta com espaço mínimo de 80cm e deixar o espaço mais amplo para que seja possível fazer a manobra de uma cadeira de rodas em um ângulo de 360 graus. Além disso, um espaço maior facilita a circulação do idoso e evitará que ele esbarre constantemente em quinas e objetos, prevenindo quedas. A norma da ABNT NBR 9050 determina alguns padrões mínimos para a disposição/layout e dimensões de um banheiro, e por isso é importante seguir orientações técnicas de um profissional” explica a arquiteta Marina Bogéa.

O arquiteto e sócio do escritório Por Metro Quadrado Marcos Nunes complementa:

“É importante que a cama do idoso seja mais baixa, para facilitar o acesso. O ideal é que tenha entre 55cm a 65cm de altura. Já as barras de apoio a serem instaladas nos banheiros devem ser de alumínio, com diâmetro mínimo de 4 cm. E na hora de fixar as mesmas, deve-se observar uma distância média de 30 cm da parede para a barra”, explicou ele.

Todos esses cuidados são verdadeiros investimentos, pois garantir mais acessibilidade nos ambientes é sinônimo de proporcionar ao idoso mais segurança, conforto e autonomia em seu lar. Esses cuidados valem tanto para residências quanto para ambientes comerciais ou públicos.

SERVIÇO / DICAS DO QUE FAZER PARA PREVENIR QUEDAS:
  1. Evitar tapetes soltos
    2. Escadas e corredores devem ter corrimão nos dois lados
    3. Usar sapatos fechados com solado de borracha
    4. Colocar tapete antiderrapante no banheiro
    5. Evitar andar em áreas com piso úmido
    6. Evitar encerar a casa
    7. Evitar móveis e objetos espalhados pela casa
    8. Deixar uma luz acesa à noite, para o caso de precisar se levantar
    9. Esperar que o ônibus pare completamente para você subir ou descer
    10. Utilizar sempre a faixa de pedestre
    11. Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio
  2. Dormir em uma cama na qual a pessoa possa  subir e descer facilmente (cerca de 55 a 65 cm)
  3. Dentro do armário, arrumar as roupas em lugares de fácil acesso, evitando os locais mais altos
  4. Substituir as paredes de vidro do box por um material não deslizante
  5. Para tomar banho, utilizar uma cadeira de plástico firme com cerca de 40 cm.
Gostou? Compartilhe!
Share on Pinterest
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar