Em 4 anos, o Centro de Tratamento de Resíduos da Maxtec já incinerou cerca de dois milhões de toneladas de resíduos perigosos e não-perigosos. (foto divulgação)

 

Era o dia 2 de junho de 2016. Emissoras de rádios, televisão, jornais e influenciadores digitais anunciavam a inauguração pioneira do mais importante empreendimento privado à política de desenvolvimento sustentável do Estado: o Centro de Tratamento de Resíduos do Maranhão (CTR). Quatro anos depois, em julho de 2020, o CTR da Maxtec registra um novo recorde com a incineração de cerca de dois milhões de toneladas de resíduos poluentes.

Nesse período, as famílias maranhenses ganharam mais qualidade de vida e sustentabilidade ambiental. Empresas e instituições avançaram na gestão sustentável de seus negócios. Toneladas de resíduos perigosos e não perigosos deixaram de serem jogados em lixões, mangues, mares, rios e ruas, tendo destinação adequada, como exige a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n° 12.305/2010).

PIONEIRISMO

Iniciativa da Maxtec Serviços Gerais e Manutenção Industrial Eireli e do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Maranhão (Sinduscon-MA), o CTR da Maxtec está situado na Avenida Engenheiro Emiliano Macieira, BR 135, n° 19, Km 19, no Itaqui Pedrinhas, em São Luís. A engenheira ambiental do CTR, Nayara Silva, destacou o pioneirismo da Maxtec no mercado estadual de gestão de resíduos e os benefícios para a população local.

“O CTR inovou na destinação correta dos resíduos poluentes gerados por indústrias, empresas e instituições locais”, disse Nayara Silva. Segundo ela, “o nosso maior compromisso é garantir a destinação correta a esses resíduos perigosos e não perigosos. A sustentabilidade ambiental produz impactos socioeconômicos positivos nas empresas, instituições e principalmente na população”, afirmou Nayara Silva.

TECNOLOGIA SUSTENTÁVEL

Nos cinco primeiros meses deste ano, o CTR da Maxtec incinerou 218 toneladas de resíduos poluentes. Empregando tecnologia 100% maranhense, ele garante os melhores resultados no processo de queima de resíduos e gases. “A incineração acontece via tratamento térmico, com temperatura mínima de 800°C. Todo o processo é monitorado e as taxas de emissão são acompanhadas em tempo real”, finalizou Nayara Silva.

Gostou? Compartilhe!
Share on Pinterest
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar