Escadaria do Beco do Silva recebe uma nova pintura (Reprodução)

 

Quando uma tinta azul começou a cobrir o grafite na escadaria do Beco do Silva, no Centro Histórico de São Luís, internautas reagiram com indignação: “caramba, que desrespeito”, disse um usuário. “Que vandalismo!”, protestou outro. O que muita gente não sabia é que a tinta azul era apenas o início da nova intervenção do artista visual Gil Leros no local, como parte das ações do programa estadual Nosso Centro.

Em 2019 a arte de Gil Leros fez com que o espaço se tornasse sensação entre turistas e ludovicenses. Na época, ele escolheu pintar a imagem de uma coreira, em referência ao Tambor de Crioula do Maranhão, um dos ícones da cultura popular maranhense.

Este ano o artista repaginou o visual na escadaria. A coreira deu lugar à ilustração de um guará, pássaro de penas vermelhas encontrado em larga escala na costa maranhense, e uma janela colonial, marca arquitetônica da capital patrimônio histórico da humanidade.

Gil Leros conta que o tema mudou, mas a intenção de sua nova intervenção artística continua a mesma: transmitir via arte de rua, valores e belezas típicos do Maranhão. Só que dessa vez o artista se preocupou em alertar o público sobre a importância da preservação ambiental, com ênfase na conservação das áreas de manguezais.

“De forma bem simples eu venho pontualmente colocando o guará nas paisagens dos lugares, para que a galera tenha esse ‘start’ e consiga, por meio da pintura, entender a existência desse animal, entender o habitat desse animal e comece a se reeducar sobre a importância do mangue, não só como forma de proteção das margens litorâneas, mas também como um local em que vive um animal tão belo”, detalha Gil Leros.

Apesar de ser figura marcante da fauna maranhense, Gil Leros acredita que o guará é um ilustre desconhecido para boa parte da população. E assim como fez quando pintou a coreira, o artista aposta no tom educativo do seu trabalho para conscientizar moradores e visitantes sobre as potencialidades locais.

“Quando a gente pintou a coreira muita gente veio perguntar: o quê que é isso? E essa baiana? O pessoal não sabia reconhecer o que era uma coreira, não entedia aquela mulher como uma coreira. No imaginário de muita gente ela era uma baiana. No guará tá acontecendo a mesma coisa. O pessoal não sabe que ave é aquela, apesar de ser muito comum na nossa região”, avalia.

Grafite: a juventude na paisagem de São Luís

Gil Leros  (foto acima) nasceu em Tucuruí, no Pará, mas foi no Maranhão que ele criou suas raízes artísticas e referências culturais. Aos 13 anos de idade ele teve contato com a cultura hip hop em São Luis, mais precisamente na Divinéia, bairro onde mora até hoje.

Novamente convidado para embelezar a escadaria do Beco do Silva, Leros comemora o apoio do poder público estadual. Para ele, ao apoiar o grafite, o Estado apoia a “inserção da juventude na paisagem da cidade”.

“A gente vem de um modelo de construção de cidades muito de cima pra nunca chegar embaixo. A gente ainda tem uma ideia conservadora de que a cidade é feita com ruas, placas, prédios, cinzas e beges. O grafite no mundo inteiro foi uma forma do espírito juvenil do ser humano aparecer no cenário urbano. Ter hoje gestores [no Maranhão] com a cabeça mais aberta que entendem que a juventude tem potencial é de total importância”, pontua o artista.

No último domingo, 25, a nova intervenção artística já era disputada por visitantes ávidos por fotos e selfies no mais novo cenário cultural da Ilha. Entre eles o secretário de Estado da Cultura (Secma), Anderson Lindoso, que esteve lá com a família e registrou o momento em suas redes sociais. “Parabéns Gil Leros! Você e sua equipe fizeram um grande trabalho que destaca nosso patrimônio histórico e as riquezas naturais. Gratidão também ao governador Flávio Dino por valorizar nosso patrimônio”, comentou o secretário.

No mesmo dia o comerciário Érico Araújo foi com a esposa tirar fotos no espaço. Ele acredita que a obra que já está agradando quem mora na cidade, vai impressionar qualquer turista que visita São Luís. “Era uma só uma escadaria, era só mais um beco da cidade, mas com o grafite do Gil Leros virou mais um ponto turístico de São Luís. Eu acho que essa repaginada com a galera da arte urbana ficou bem legal. Acabou ‘vendendo’ para quem é daqui e consequentemente vai alcançar o mundo”, disse Érico Araújo.

O Beco do Silva fica localizado na travessa com a Rua Graça Aranha e a escadaria fica atrás do Viva da Avenida Beira Mar.

(Fonte/Governo do Estado/SECMA)

Gostou? Compartilhe!
Share on Pinterest
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar