A nutricionista acredita que dietas restritivas é uma das piores alternativas para o combate à obesidade. (Foto/Divulgação)

 

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que a obesidade no Brasil atinge um em cada quatro adultos. O estudo, que abrange o período de 2002 a 2019, revela também um triste fato: atualmente, quase 62% da população de 20 anos ou mais está acima do peso, sendo identificada maior recorrência entre as mulheres.

Neste cenário, Sophie Deram, PHD em Nutrição, autora do best seller “O Peso das Dietas” e especialista em comportamento alimentar, pontua que o maior problema está em pensar que a obesidade se soluciona apenas com a perda de peso e as dietas restritivas seriam a maneira mais eficaz de eliminar este mal.

“Privações alimentares e jejuns não ajudam a combater a obesidade, pelo contrário, podem aumentar em até três vezes as chances de uma pessoa se tornar obesa, inclusive, mais de 90% dos pacientes que são submetidos a dietas restritivas voltam a engordar”, alerta.

Sophie diz ainda que o aumento nos casos de obesidade não é uma surpresa porque não há políticas públicas e nem métodos eficazes para o controle do problema. Ainda segundo a PHD, o que surpreende os profissionais da área da saúde é a velocidade com que o excesso de peso tem aumentado não só no Brasil, mas no mundo todo. “A revista científica The Lancet, em 2015, já chamava atenção para este problema ao se referir à obesidade como uma pandemia que assola todos os países. Nenhuma nação conseguiu superar esta dificuldade”, cita Sophie .

Outra polêmica em torno deste assunto é se a obesidade pode ou não ser considerada uma doença. Quanto a esta questão, a nutricionista acredita que o excesso de peso pode ser visto como uma condição neurocomportamental, ou seja, focar apenas na mudança física da pessoa não será o suficiente e nem mesmo a principal alternativa para resolver o problema.

Manifesto sobre a obesidade

Sophie acredita ainda que o quadro de saúde da população tende a piorar no tocante à obesidade enquanto o foco principal no tratamento estiver ligado diretamente à perda de peso. A partir desse seu discurso totalmente na contramão da maioria dos profissionais do setor, a nutricionista quer chamar a atenção da sociedade e de autoridades públicas por meio do “Manifesto para o novo olhar sobre a obesidade”, que acontece no dia 21 de novembro no formato online. O evento debaterá com especialistas maneiras mais humanizadas e efetivas para o controle do sobrepeso.

“O problema da obesidade não pode ser considerado de forma alguma responsabilidade única do paciente, estigmatizar quem já sofre com esta circunstância tende a agravar ainda mais o transtorno alimentar”, conclui.

Sobre Sophie Deram

Autora do livro “O Peso das Dietas”, é engenheira agrônoma de AgroParisTech (Paris), nutricionista franco-brasileira e doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) no departamento de Endocrinologia. Além de especialista em tratamento de Transtornos Alimentares pelo AMBULIM – Programa de Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP, é coordenadora do projeto de genética e do banco de DNA dos pacientes com transtorno alimentar no AMBULIM no laboratorio de Neurociencias.

Gostou? Compartilhe!
Share on Pinterest
Compartilhe com um amigo(a)










Enviar