Cinema Sesc inicia sessões com programação em homenagem às mulheres nesta quarta

Nedilson Machado
Uma das atrações é o documentário “Diálogos com Ruth de Souza”, dirigido por Juliana Vicente/SP, que mostra a trajetória da mulher pioneira em trabalho de atrizes negras em palcos, televisão e cinema no Brasil (Foto/Divulgação)

 

O Cinema Sesc, localizado na Unidade Deodoro, inicia sua agenda de exibições com uma programação especial em homenagem ao mês da mulher. De 6 a 15 março, o Cinema Sesc apresenta em seu cartaz filmes protagonizados e/ou dirigidos por mulheres referência de seu tempo. Todas as sessões são gratuitas e exibidas de quarta a sexta, às 11h, 12h30 e 18h. Pessoas que não têm Cartão Sesc e desejam assistir aos filmes, devem agendar pelo telefone (98)3216-3860.

As programações são pensadas de forma a democratizar o acesso ao entretenimento, lazer e às produções audiovisuais. O objetivo é ampliar os diálogos e diferentes perspectivas de experiências para as telas. O Cinema Sesc tem uma capacidade para até 95 pessoas e conta com espaço acessível para cadeirantes e espaço mais.

E em um mês tão representativo, o Sesc não poderia deixar de fazer sua homenagem por meio de uma seleção de filmes que potencializam a força, talento e a contribuição das mulheres na produção cinematográfica, apresentando filmes brasileiros de diversos estados como MA, AP, RR, RN, GO, AL, RS, PR, SP, MT, TO e AM.

Filmes programados com dados técnicos e sinopses

O Dia em Que os Móveis do Quarto Sumiram
Direção: Cecília Bernal e Eduarda Grillo/RS
Duração: 07 min/ Animação/ Classificação: Livre
Sinopse: Por acidente, Serena revela o que sente por Bia, sua melhor amiga. Seus sentimentos em turbilhão a fazem entrar em uma crise emocional em que, quanto mais consumida por seus pensamentos, mais vazio seu quarto fica distorcendo a realidade.

Colchão D’água
Direção: Lívia Motta/RN
Duração: 06 min / Animação/ Classificação: Livre
Sinopse: “Colchão d’água” é um curta experimental de animação que versa sobre a temática da saúde mental, a partir da experiência da protagonista com o Transtorno Afetivo Bipolar.

Todos os Inscritos de Ness
Direção: Bruna Steudel/PR
Duração: 19min/ Animação/ Classificação: Livre
Sinopse: Ness (10) é feliz ao produzir para seu canal na internet de apenas quatro inscritos. Porém, tudo começa a mudar quando sua melhor amiga, em pouco tempo, passa a ter mais seguidores. Ness se vê insuficiente e parte numa busca por aceitação.

Do alto do rio
Direção: Nani Freir/ AP
Duração: 18min/ Documentário/ Classificação: Livre
Sinopse: “Do Alto Rio” é uma jornada cinematográfica de 17 minutos e 51 segundos que transporta os espectadores para a confluência dos municípios de Porto Grande, Serra do Navio e Pedra Branca do Amapari, onde as paisagens deslumbrantes da Floresta Nacional do Amapá servem como pano de fundo para a vida cotidiana de comunidades que dependem da natureza para sobreviver. A diretora Nani Freire e o cineasta Otto Ramos capturam imagens impressionantes enquanto exploram as riquezas culturais e ecológicas da região.

Valeu, Boa Vista
Direção : Adriana Bencomo/RR
Duração : 21min/ Documentário/ Classificação: Livre
Sinopse: VALEU, BOA VISTA é um registro imagético intimista de pessoas de quatro localidades diferentes – Venezuela, Benin/África Ocidental, Warao/Delta do Orinoco, Tuyuka/Amazonas – que residem na cidade de Boa Vista, em Roraima, e que no seu dia a dia preservam suas raízes ancestrais, ao mesmo tempo que incorporam elementos da cultura roraimense.

Sangues
Direção: Rose Panet/MA
Duração: 20min/ Ficção, Drama, Comédia/ Classificação: 10 anos
Sinopse: O filme Sangue’s aborda um fragmento da vida de Agnés, uma jovem mulher, professora do ensino médio que adora a cor vermelha e está em busca da sua identidade e sua origem consanguínea. Agnés pretende fazer um teste de DNA e aguarda ansiosa pelo resultado. O filme aborda a importância do amor na família, independente da consanguínea ou adotiva, a diversidade de famílias possíveis e os dois tipos de sangue numa ontologia indígena. O filme contou com recursos do 7o Edital do Audiovisual do Maranhão. Foi escrito e dirigido por Rose Panet.

Infantaria
Direção: Laís Santos Araújo/ AL
Duração: 24min/ Drama/ Classificação: 10 anos
Sinopse: Em um Brasil conservador e pantanoso, uma festa de aniversário acontece numa casa com pai ausente. Joana, a aniversariante de 10 anos, tem como maior desejo menstruar pela primeira vez. Seu irmão mais velho, Dudu, só quer que seu pai militar retorne para casa. Quando a adolescente Verbena chega na festa sem ser convidada, todos os desejos podem se realizar – mas de um jeito doloroso.

Tudo é Rio
Direção: Helen Lopes/TO
Duração: 1h14min / Documentário/ Classificação: Livre
Sinopse: Tudo é Rio, é um filme sobre os impactos na vida dos pescadores e pescadoras da cidade de Tocantinópolis – TO, causados pela construção da hidrelétrica do Estreito. Inaugurada por volta de 2012, a barragem tem sido considerada a responsável por diversos impactos na vida das pessoas, sobretudo das que depende do rio Tocantins para viver. Os problemas vão além das questões financeiras. Através dos depoimentos, ressalta-se o impacto na natureza: mortalidade de peixe, o desaparecimento da vegetação ribeirinha, são aspectos levantados pelas falas dos pescadores (as). A memória, “de outros tempos”, também é elencada para confrontar os dias atuais. Tudo é Rio, é um filme que fala sobre pessoas, de pessoas e suas histórias de vida.

Itinerário de Cicatrizes
Direção: Glória Albues/MT
Duração: 19min / Documentário/ Classificação: Livre
Sinopse: Nas ruas do centro de Goiânia, os fotógrafos lambe-lambe oferecem seus serviços às pessoas que passam. Entre o anacronismo e a modernização, resistem às mudanças tecnológicas e culturais compondo um retrato de si próprios que se nega reconhecer por completo o eminente apagamento dos modos de fazer do ofício a que se dedicam. Andanças pelas ruas da cidade revelam as histórias e retratos destes fotógrafos.

Diálogos com Ruth de Souza
Direção: Juliana Vicente/SP
Duração: 1h47min/ Documentário/ Classificação: 10 anos
Acessibilidades: Libras
Sinopse: Ruth de Souza inaugura a existência de atrizes negras em palcos, televisão e cinema no Brasil. Carrega em si a gênese de parte importante das conquistas para as mulheres negras ao longo de quase um século de vida. A partir de conversas com a diretora da obra, também uma mulher negra, materiais de arquivos da vida de Ruth em um cruzamento com o universo mitológico, em uma interpretação ficcional e transcendental de sua vida, temos um longa protagonizado por Ruth de Souza.

A Febre
Direção: Maya Da-Rin/AM
Duração: 98min /Drama/ Classificação: 10 anos
Acessibilidades: Libras e Audiodescrição
Sinopse: Manaus é uma cidade industrial cercada pela floresta amazônica. Justino, um indígena Desana de 45 anos, trabalha como vigia no porto de cargas. Desde a morte de sua esposa, sua principal companhia é sua filha mais nova, Vanessa, com quem vive em uma casa modesta na periferia e é aprovada para estudar medicina em Brasília.

Compartilhe este artigo